A A A
A onça está desaparecendo do Nordeste brasileiro PDF Imprimir E-mail
Noticias - ANIMAIS - BRASIL
27-Out-2015
 
Inventário de animais da Caatinga do RN registrou apenas uma onça-parda. A onça-pintada não é avistada há décadas

BRUNO CALIXTO

Uma onça-parda identificada em armadilha fotográfica em área de Caatinga do Rio Grande do Norte. Espécie é rara na região (Foto: Projeto Caatinga Potiguar)


A onça é um dos felinos mais característicos do Brasil, presente em todos os biomas. No semiárido brasileiro, entretanto, sua situação é crítica. A onça-pintada (Panthera onca) é considerada como "Criticamente em perigo", e a onça-parda (Puma concolor) é definida como "Em perigo". Um novo estudo feito na Caatinga do Rio Grande do Norte confirma a situação e mostra que esse carismático felino corre o risco de desaparecer do Nordeste brasileiro.

O estudo é o maior inventário de mamíferos feito na Caatinga. Ele foi elaborado pela ONG Wildlife Conservation Society (WCS-Brasil) e pelo órgão ambiental estadual do Rio Grande do Norte, o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema). Segundo Carlos Fonseca, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e um dos autores do estudo, o objetivo é entender a atual situação dos animais da região para saber quais as oportunidades para preservar espécies. "A Caatinga tem sido negligenciada em termos de proteção de biodiversidade. A ideia foi coletar dados para identificar as melhores estratégias para a conservação."

Para fazer o inventário, os pesquisadores instalaram armadilhas fotográficas em vários pontos de mata natural. Quando um animal passa por essas armadilhas, ela tira uma foto. Assim, eles conseguem identificar os animais de médio e grande porte. Foram 2 mil registros de 14 espécies de mamíferos e mais de 180 espécies de aves. O método, infelizmente, não consegue capturar animais de pequeno porte, mas ter o registro de grandes felinos já é um indicativo da qualidade ambiental da área, porque são predadores de topo da cadeia. Se os predadores aparecem nas fotos, é sinal de que as presas também estão por lá.

E aí que está o problema. O estudo identificou um número muito menor de predadores do que o esperado. "Nós conseguimos registrar muitas espécies, mas o que chama a atenção, na verdade, é o quanto algumas espécies estão raras. Com todo esse esforço, nós só registramos uma onça-parda. A onça-pintada já não existe mais no Rio Grande do Norte provavelmente há décadas", diz Fonseca. O problema se repete com outros mamíferos. Animais emblemáticos, como tamanduá-bandeira ou o tatu-bola, também não foram registrados.


Área de Caatinga em Martins, no Rio Grande do Norte. Semi-árido também tem paisagens exuberantes (Foto: Carlos Roberto Fonseca)


Veado-caatingueiro identificado em armadilha fotográfica em área de Caatinga do Rio Grande do Norte (Foto: Projeto Caatinga Potiguar)


A situação no bioma é crítica por conta de dois fatores. Um deles é a caça, ainda muito presente na região. O outro é o desmatamento. A Caatinga já perdeu 50% de sua área natural. Ela está no "meio do caminho" entre a Amazônia, que perdeu cerca de 18%, e a Mata Atlântica, que perdeu quase 90%. Por isso, segundo Marina Antongiovanni, da WCS-Brasil, a região precisa de uma estratégia específica para conservação. "A Caatinga existe no imaginário como uma área pobre e de secura. Mas, na verdade, o semiárido é riquíssimo se comparado a outras regiões de clima semelhante, com paisagens exuberantes e patrimônio arqueológico enorme. É importante quebrar essa imagem ruim."

Para os autores do inventário, a melhor forma de quebrar esse imaginário é protegendo as áreas que ainda contam com floresta intacta. Hoje, o bioma é um dos menos protegidos do país – só perde para o Pampa em porcentagem de área protegida. Apenas 6% da Caatinga está protegida, e muitas das áreas existentes não são de proteção integral. O inventário cria um mapa de regiões que valem a pena proteger, minimizando o impacto na população local, e criando uma oportunidade para a onça continuar existindo no Nordeste brasileiro. Para isso, no entanto, o governo precisa se mexer e criar novas unidades de conservação.
 
< Anterior   Próximo >

Gostou? Compartilhe em sua rede social.

Escolha o Idioma

Veja também

Nossas Lutas
Aconteceu
Utilidade
Direito Animal
Cyberativismo
Textos
Fatos Reais
Websites e Blogs
Curiosidades
Galeria

Anunciantes

J_Adore_Mes_Amis_Le_Bidou
 
 
Roberto Roperto - Pizzas Vegetarianas
Nova pagina 1

Mantenha-se atualizado

Escolha como deseja se comunicar conosco ou receber as nossas notícias e informações. Estamos no Facebook, pode ser também pelo RSS FEED clicando ao lado direito, pelo TWITTER, no nosso BLOG ou então pelo nosso Grupo no YAHOO. Quer assistir alguns vídeos interessantes, acesse o nosso Canal no YouTube. Não será por falta de opções que você ficará desinformado. Não é mesmo?

Direitos Reservados - Tribuna Animal