A A A
Bauru/SP: Cão sob maus-tratos é resgatado PDF Imprimir E-mail
Noticias - ANIMAIS - BRASIL
14-Jul-2011
 
Após denúncia de vizinhos e de entidade protetora de animais, Justiça autoriza a busca e apreensão de cachorra

Bruna Dias

Talvez os maus-tratos a animais estão com os dias contados em Bauru. Depois de diversas denúncias, dessa vez a Justiça autorizou um mandado de busca aos policiais civis do Distrito Policial (DP) de Crimes Ambientais para apreensão de uma cadela que era constantemente agredida pelos donos e vivia em local impróprio.

A denunciante, Damair Pereira de Almeida, delegada da Sociedade de Proteção Ambiental Mountarat, conta que recebeu inúmeros relatos de agressão. “As pessoas disseram que a cachorrinha era agredida constantemente e que não vivia em local adequado. Nós fomos lá, conversamos e como os relatos continuaram, fizemos o boletim de ocorrência (BO)”, contou.

O BO, que narrava o histórico de maus-tratos à cadelinha, foi registrado no último dia 7, quinta-feira. Depois disso, cabia à Polícia Civil apurar o caso, como fez o delegado titular do DP de Crimes Ambientais, Dinair José da Silva. Um termo circunstanciado foi instaurado para que as investigações iniciassem.

“Nós fomos até o local e constatamos a situação em que se encontrava o animal. Ele estava magro e mordia as grades do portão, parecendo que queria sair daquele local. Não havia ninguém no local. Também havia fezes de vários dias espalhadas pelo quintal”, relatou o delegado.

Apreensão

Após essa data, e os fatos constatados, Dinair solicitou ao juiz que deferisse o mandado de busca e apreensão da cadelinha. “Os relatos das pessoas mostram que uma das últimas vezes que a cachorra foi agredida, o proprietário deu um grito com ela e logo em seguida veio a pancada e o choro da cachorrinha. Tudo o que indica uma agressão. Acredito que foi desta vez que ela machucou a pata”, acrescentou Damair.

Anteontem à tarde, Dinair recebeu a resposta que aguardava: o juiz havia deferido seu mandado de busca e apreensão. A cadelinha já podia ser resgatada. E foi o que aconteceu na tarde de ontem. “Nós chegamos lá e não havia ninguém. Uma vizinha abriu o portão, porque tinha a chave e nós pegamos a cachorrinha. Parecia que ela queria sair daquele local”, contou Dinair.

Em um espaço do DP de Crimes Ambientais, com água e comida abundantes e um espaço para correr, mesmo com a pata traseira machucada, a cadelinha parecia feliz. Não parava de correr, queria brincar. Deitava no chão para ganhar carinho. Talvez essa palavra ela nunca soube o significado em sentimentos antes de chegar ali, trazida pelos policiais civis.

• Serviço

O Distrito Policial de Crimes Ambientais fica na avenida Comendador Daniel Pacífico, 2-117, Vila Martha, e deve ser acionado em casos de maus-tratos a animais. As denúncias podem ser feitas anonimamente pelos telefones (14) 3238-7377 e (14) 3238-5151, ou ainda pelo e-mail dp01bauru@policia civil.sp.gov.br.
____________________

Penalidade

O delegado titular do DP de Crimes Ambientais, Dinair José da Silva, esclarece que a proprietária do animal, que reside no Parque São Geraldo em Bauru, mesmo local aonde a cadelinha foi apreendida com sinais de maus-tratos, foi autuada por crueldade contra animais. A penalidade está prevista no artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais que prevê detenção de três meses há um ano mais multa, se for julgada culpada.

A proprietária da cadelinha, que teve a identidade preservada, poderá ter a pena revertida ainda em prestação de serviços à comunidade ou pagamento de cestas básicas. A cadelinha apreendida foi encaminhada à Sociedade de Proteção Ambiental Mountarat e já possui quatro pretendentes para adoção. “As pessoas precisam ter a consciência de que os animais são membros da família e precisam de carinho e cuidados”, enfatizou a delegada da Mountarat, Damair Pereira de Almeida.
____________________

Falta de estrutura

O fato retoma um assunto já abordado pelo Jornal da Cidade na última quinta-feira, a falta de políticas públicas para dar seguimento aos casos de maus-tratos a animais em Bauru. O delegado titular do DP de Crimes Ambientais, Dinair José da Silva, agradece o trabalho das ONGs e voluntariados da cidade.

“Eu gostaria de parabenizar o trabalho das ONGs que se desdobram para ficar com os animais e conseguir novos donos a eles, além de outros trabalhos feitos por essas entidades. Muitas vezes elas acabam fazendo uma inversão de valores com o poder público, que não possui local para abrigar esses animais”.
____________________

E o cavalo Fuzil?

Por falar em maus-tratos, não podemos esquecer da história do cavalo Fuzil, flagrado em péssimas condições, diarreia e feridas no lombo, no Jardim Marambá em Bauru, na tarde da última segunda-feira. O caso também está sendo investigado no DP de Crimes Ambientais, onde um termo circunstanciado foi instaurado.

“Estamos investigando e já ouvimos o proprietário do animal. Ele disse até que podem ter tentado envenenar o cavalo. Nós vamos apurar”, frisou Dinair José da Silva, delegado titular do DP de Crimes Ambientais de Bauru.
 

http://www.jcnet.com.br/detalhe_bairros.php?codigo=211462

 
< Anterior   Próximo >

Gostou? Compartilhe em sua rede social.

Escolha o Idioma

Veja também

Nossas Lutas
Aconteceu
Utilidade
Direito Animal
Cyberativismo
Textos
Fatos Reais
Websites e Blogs
Curiosidades
Galeria

Anunciantes

J_Adore_Mes_Amis_Le_Bidou
 
 
Roberto Roperto - Pizzas Vegetarianas
Nova pagina 1

Mantenha-se atualizado

Escolha como deseja se comunicar conosco ou receber as nossas notícias e informações. Estamos no Facebook, pode ser também pelo RSS FEED clicando ao lado direito, pelo TWITTER, no nosso BLOG ou então pelo nosso Grupo no YAHOO. Quer assistir alguns vídeos interessantes, acesse o nosso Canal no YouTube. Não será por falta de opções que você ficará desinformado. Não é mesmo?

Direitos Reservados - Tribuna Animal