A A A
Brasil aperta o cerco contra o lucrativo tráfico de animais PDF Imprimir E-mail
Noticias - ANIMAIS - BRASIL
30-Abr-2012
AFP
Araras azuis e amarelas da Amazônia, papagaios-verdadeiro, macacos, tartarugas, sucuris e onças-pardas: o tráfico de animais silvestres é um negócio muito lucrativo que não poupa espécies no Brasil, incluindo aquelas em extinção.

"De acordo com as nossas estimativas, 38 milhões de animais silvestres, 80% deles sendo aves, são tirados das florestas todos os anos no Brasil e cerca de 90% deles morrem durante o transporte", disse Rauff Lima, uma porta-voz da organização não-governamental Renctas (Rede Nacional de Combate ao Tráficos de Animais Silvestres).

No entanto, a perda "é largamente compensada pela venda de uma única espécie" e os traficantes chegam a ganhar aproximadamente 2 bilhões de dólares por ano no país, tornando o comércio ilegal de animais o mais rentável depois do tráfico de armas e drogas, afirma o Renctas.

Em 2001, a organização liberou o primeiro relatório nacional sobre o tráfico de animais silvestres.

Naquele ano, a última ararinha azul selvagem, considerada uma das espécies em maior risco de extinção, desapareceu do estado da Bahia e hoje restam apenas 70 em cativeiro ao redor do mundo.

"Eles são comprados ilegalmente por colecionadores", disse Lima.

Em média, a polícia federal apreende 250 mil animais selvagens por ano e o Ibama capturou outros 45 mil durante operações realizadas no ano passado em todo o país.

No Cetas, o Centro de Triagem de Animais Silvestres do Ibama, o veterinário Daniel Neves cuida de 1,6 mil animais, muitos resgatados em péssimas condições, com fome e doentes, de traficantes brasileiros.

Localizado em uma área florestal em torno de 75 quilômetros do centro do Rio, o Cetas lembra um zoológico, onde grandes araras são abrigadas em uma grande gaiola apelidada de "corredor de voo", onde elas podem voar em direção a sua futura liberdade.

Em outro local, 700 gaiolas são empilhadas em condições precárias.

Os animais "são deixados em quarentena até que sua saúde melhore. O objetivo é libertá-los na natureza, mas temos sucesso em apenas 20 a 30% dos casos", afirmou Neves.

As araras podem ser enviadas para zoológicos, mas eles já estão lotados, de acordo com o veterinário, que diz que o Brasil deveria aprovar uma legislação sobre adoção de animais.

"Quem quer que esteja preparado para a adoção de uma arara cega certamente não vai causar nenhuma mal a ela", argumenta Neves. "É um problema real, porque elas (araras) não serão mais capazes de se defender na natureza", acrescentou.

O Brasil, maior país da América Latina, com uma área de 8,5 milhões de quilômetros quadrados, é considerado a maior biodiversidade do planeta.

Possui 530 espécies de mamíferos, 1800 espécies de aves, 680 de répteis, 800 de anfíbios e 3000 espécies de peixes.

Segundo a ministra do Meio Ambiente, 627 espécies estão sob risco de extinção, o triplo de 15 anos atrás.

A legislação brasileira proíbe a caça em todo o país, assim como a manutenção de animais em cativeiro, exceto em casos raros de autorização para reprodução.

Desde 2001, a polícia vem reforçando o combate aos traficantes e caçadores, com a finalidade imediata de reduzir o lucro do comércio ilegal. No entanto, eles afirmam que o seu trabalho depende de um esforço maior dos serviços de inteligência.

Comprar um papagaio-verdadeiro no mercado negro, ou um tucano caçado de seu habitat custa menos de 100 dólares, enquanto o valor chega a ser 10 vezes maior em uma loja legalizada.
http://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/noticias/brasil-aperta-o-cerco-contra-o-lucrativo-trafico-de-animais-20120430.html

 
< Anterior   Próximo >

Gostou? Compartilhe em sua rede social.

Escolha o Idioma

Veja também

Nossas Lutas
Aconteceu
Utilidade
Direito Animal
Cyberativismo
Textos
Fatos Reais
Websites e Blogs
Curiosidades
Galeria

Anunciantes

J_Adore_Mes_Amis_Le_Bidou
 
 
Roberto Roperto - Pizzas Vegetarianas
Nova pagina 1

Mantenha-se atualizado

Escolha como deseja se comunicar conosco ou receber as nossas notícias e informações. Estamos no Facebook, pode ser também pelo RSS FEED clicando ao lado direito, pelo TWITTER, no nosso BLOG ou então pelo nosso Grupo no YAHOO. Quer assistir alguns vídeos interessantes, acesse o nosso Canal no YouTube. Não será por falta de opções que você ficará desinformado. Não é mesmo?

Direitos Reservados - Tribuna Animal