A A A
Jumentos: uma classe de animais em extinção PDF Imprimir E-mail
Noticias - ANIMAIS - BRASIL
03-Jun-2012

Historicamente vinculados ao trabalho no campo, os animais perdem a serventia e o rebanho despenca no Brasil. Campanha na web quer salvar os jumentos

por Luciana Franco

'Jumento não é o grande malandro da praça. Trabalha, trabalha de graça. Não agrada ninguém. Nem nome não tem. É manso e não faz pirraça, mas quando a carcaça ameaça rachar, que coices, que coices que dá' (Trecho da canção O Jumento, de Chico Buarque)
A canção O Jumento, escrita por Chico Buarque em 1977, já revelava as tristes condições de vida do animal. O trecho inicial diz: “Jumento não é o grande malandro da praça. Trabalha, trabalha de graça. Não agrada ninguém. Nem nome não tem. É manso e não faz pirraça, mas quando a carcaça ameaça rachar, que coices, que coices que dá”.

Nos mais de 30 anos que se passaram desde a composição, pouca coisa mudou no cotidiano do jumento, animal típico nordestino também conhecido como jegue. Recentemente alvo de uma grande polêmica, depois que a China sinalizou a intenção de comprar no Brasil 300 mil animais para destiná-los à produção de cosméticos, os jumentos atraíram a atenção de uma das mais célebres defensoras de animais do mundo: a atriz Brigitte Bardot, que, em carta, pediu à presidente Dilma Rousseff que evitasse tal carnificina.

De acordo com Fernando Viana, agrônomo e presidente da Associação Brasileira dos Jumentos Nordestinos, no entanto, a intenção da China de adquirir os animais do Nordeste do Brasil, que responde por mais de 90% do rebanho brasileiro, não se concretizou na prática. “Foi assinado um protocolo de intenções entre uma missão de chineses e o governo do Rio Grande do Norte, mas não há registro de comércio”, disse.

+ Em carta à Dilma, Brigitte Bardot sai em defesa dos jegues brasileiros http://tribunaanimal.org/index.php?/Noticias/ANIMAIS-MUNDO/Brigitte-Bardot-pede-que-Dilma-acabe-com-genocidio-de-jumentos.html  

Ainda que os animais nordestinos não estejam virando cosméticos, sua miserável existência não foi amenizada com a chegada da modernidade. Trata-se de uma classe de animais fadada ao trabalho no campo. “Um jumento forte e bom para o trabalho não tem preço”, diz Viana. Em compensação animais não tão fortes já foram comercializados pelo valor de uma galinha, lembra o agrônomo.

A sorte dos mais fracos, no entanto, é serem abandonados nas beiras das estradas e morrer de inanição ou atropelamento. “A tradição do jumento é o trabalho rural e, depois que os tratores de pequeno porte chegaram ao campo, os animais migraram para a cidade ou foram abatidos de maneira indiscriminada, o que fez o rebanho brasileiro cair mais de 70% nas ultimas quatro décadas, de 2,7 milhões de cabeças em 1967 para apenas 590 mil cabeças em 2010. Nas cidades eles tiveram serventia no transporte de objetos e pessoas até a chegada das motocicletas. “Parece não haver saída para a recuperação do rebanho do Brasil”, diz Viana. Uma alternativa, segundo ele, seria o governo federal obrigar a destinação de jumentos para trabalhos em assentamentos rurais, mas em época em que o bem estar animal é altamente respeitado, dificilmente essa idéia tomará alguma forma e sensação é de que a classe caminha a passos largos para extinção no Brasil. “Em países subdesenvolvidos o rebanho cresce ou se mantém, diferente do que ocorre nos países em desenvolvimento ou desenvolvidos, onde a queda é contínua”, avalia Viana.

Campanha no Facebook

Atentos a notícia sobre a possível exportação do animal para a China para a produção de cosméticos, usuários da rede social Facebook prepararam uma campanha e já ilustram em seus perfis um cartaz, pedindo o não embarque do jumento para o país asiático. Embora o comércio ainda não tenha se concretizado, o tema está mobilizando centenas de pessoas. A ideia é conscientizar a população para evitar a morte dos animais. Mais de duas mil pessoas já aderiram a campanha e compartilharam a imagem abaixo.

Image
(Imagem: reprodução)

Ouça a música O Jumento:

http://revistagloborural.globo.com/Revista/Common/0,,EMI308025-18071,00-JUMENTOS+UMA+CLASSE+DE+ANIMAIS+EM+EXTINCAO.html

Leia mais

...ute;. Deste número, somente cerca de 50 mil estão localiza... 16-Mar-2012 4. Abate de jegues: Tripoli solicita informações ao Ministério das Relaç&otild...
28-Abr-2012


 

...xportados por ano para a China. União Protetora dos Animais protesta 16-Mar-2012 3. Abate de jegues: Tripoli solicita informações ao Ministério das Relaç&otild...
21-Abr-2012


 

...Deste número, somente cerca de 50 mil estão localiza... 16-Mar-2012 2. Abate de jegues: Tripoli solicita informações ao Ministério das Relaç&otild...
22-Mar-2012


 

...ma forte campanha de não proliferação da espécie. Leia mais 1. Abate de jegues: Tripoli solicita informações ao Ministério das Relaç&otild...
16-Mar-2012


 

...otilde;es sobre o acordo firmado entre Brasil e China que trata da exportação de jumentos e jegues nordestinos para fins de abate para consumo. JUSTIFICATIVA DESCABIDA Em ofício...
13-Mar-2012


 

6. Chineses importam jegues brasileiros
(Noticias/ANIMAIS - MUNDO)
Do Jornal da Band Os chineses estão de olho num patrimônio nordestino: o jegue, que é muito valorizado nas indústrias de alimentos e cosméticos da china.
08-Mar-2012
 
< Anterior   Próximo >

Gostou? Compartilhe em sua rede social.

Escolha o Idioma

Veja também

Nossas Lutas
Aconteceu
Utilidade
Direito Animal
Cyberativismo
Textos
Fatos Reais
Websites e Blogs
Curiosidades
Galeria

Anunciantes

J_Adore_Mes_Amis_Le_Bidou
 
 
Roberto Roperto - Pizzas Vegetarianas
Nova pagina 1

Mantenha-se atualizado

Escolha como deseja se comunicar conosco ou receber as nossas notícias e informações. Estamos no Facebook, pode ser também pelo RSS FEED clicando ao lado direito, pelo TWITTER, no nosso BLOG ou então pelo nosso Grupo no YAHOO. Quer assistir alguns vídeos interessantes, acesse o nosso Canal no YouTube. Não será por falta de opções que você ficará desinformado. Não é mesmo?

Direitos Reservados - Tribuna Animal