A A A
MP-AL entra com ação para impedir realização de vaquejada em Arapiraca PDF Imprimir E-mail
Noticias - ANIMAIS - BRASIL
22-Nov-2016
 
Evento está programado para acontecer entre os dias 1º e 4 de dezembro.
Promotor quer aplicação de multa e prisão em caso de descumprimento.


Do G1 AL

Vaquejada em Coração de Jesus (Foto: Valdivan Veloso/Globoesporte.com)


O Ministério Público do Estado de Alagoas (MP-AL) ajuizou uma ação para impedir a realização da 1ª Vaquejada Parque Divina Luz, Etapa Final CPV 2016, que está programada para o período de 1º a 4 de dezembro no Sítio Varginha, zona Rural de Arapiraca. Além do cancelamento do evento, o órgão também pede aplicação de multa aos organizadores e prisão, em caso de descumprimento.
A informação foi divulgada pelo MP nesta terça (22), mas a ação, de autoria do promotor de Justiça Wesley Fernandes Oliveira, da 12ª Promotoria de Arapiraca, foi ajuizada na segunda (21).

Oliveira classifica a prática como atrocidade e diz que o Estado e parte da população já não toleram mais esse tipo de atividade envolvendo animais.
“Inaceitável é o retrocesso histórico e a degradação dos valores éticos da sociedade. Na modalidade vaquejada, os animais são submetidos a maus-tratos, golpes dolorosos (puxões no rabo), cansaço, crueldade e atos desumanos desmedidos. É sabido que os animais irracionais são dotados de sentimentos e instintos. Eles também sentem dor, medo, angústia, stress, prazer, desprazer, tristeza, etc”, afirma Oliveira.
O evento é organizado pela Associação Parque de Vaquejada Divina Luz e o Parque Divina Luz, que funciona no Sítio Varginha. A reportagem do G1 tentou contato com os organizadores, mas as ligações não foram atendidas.

Em caso de o pedido ser deferido pela Justiça e haver descumprimento da ordem judicial, o promotor pede aplicação de multa diária no valor de R$ 100 mil e prisão em flagrante dos responsáveis. O valor da multa, diz o MP, corresponde ao lucro estimado dos 4 dias de evento e à apreensão dos materiais utilizados, além dos animais.

Caso a Justiça não conceda o pedido do promotor, ele pede que os animais que participarão do evento sejam identificados e, no dia 5 de dezembro, passem por perícia feita por comissão de médicos veterinários. Esse grupo seria montado pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária de Alagoas, e teria 20 dias para dizer se os animais sofreram lesões ou passaram por sofrimento.

Se forem constatados maus-tratos, o promotor pede que os responsáveis respondam por danos materiais e morais à coletividade, e paguem indenização em prol do Fundo Estadual do Meio Ambiente. O valor deve ser definido pelo Juízo de Direito.

A ação solicita que o responsável técnico pelo bem-estar animal da vaquejada realize a coleta de sangue dos animais participantes antes e depois do evento, para que passem por exames, e que a Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal) apresente o Guia de Transporte Animal e os atestados negativos de anemia infecciosa equina e mormo desses animais.

“Isso comprovará a situação de saúde dos animais antes do evento, bem como verificará se o respectivo órgão foi comunicado pela parte demandada sobre a realização da atividade, viabilizando a devida fiscalização no combate à possível transmissão de doenças ao público presente”, conclui o promotor na ação.

Esta é a terceira ação do MP para impedir a realização de vaquejadas no estado. As duas anteriores estavam previstas para os municípios de Palmeira dos Índios e Pilar.

Em Palmeira, os organizadoes chegaram a recorrer ao Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ-AL), que manteve a decisão contra a organização do evento.

No caso de Pilar, os organizadores decidiram levar o evento para a cidade de Bezerros, em Pernambuco.
 
 
 
 
< Anterior   Próximo >

Gostou? Compartilhe em sua rede social.

Escolha o Idioma

Veja também

Nossas Lutas
Aconteceu
Utilidade
Direito Animal
Cyberativismo
Textos
Fatos Reais
Websites e Blogs
Curiosidades
Galeria

Anunciantes

J_Adore_Mes_Amis_Le_Bidou
 
 
Roberto Roperto - Pizzas Vegetarianas
Nova pagina 1

Mantenha-se atualizado

Escolha como deseja se comunicar conosco ou receber as nossas notícias e informações. Estamos no Facebook, pode ser também pelo RSS FEED clicando ao lado direito, pelo TWITTER, no nosso BLOG ou então pelo nosso Grupo no YAHOO. Quer assistir alguns vídeos interessantes, acesse o nosso Canal no YouTube. Não será por falta de opções que você ficará desinformado. Não é mesmo?

Direitos Reservados - Tribuna Animal