A A A
ONG solicita esclarecimentos sobre plano de fiscalização de observação de baleias em barcos PDF Imprimir E-mail
Noticias - ANIMAIS - BRASIL
28-Jun-2016
Por LARIANE CAGNINI

Distância entre as embarcações e os animais é um dos pontos a ser esclarecido no plano - Foto: Charles Guerra / Agencia RBS


O Instituto Sea Shepherd, autor da denúncia que suspendeu a prática do turismo embarcado de observação de baleias desde 2012, solicitou à justiça esclarecimentos sobre o plano de fiscalização. Esse plano foi uma das exigências feitas pela Justiça federal ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), para que a prática seja retomada. Até o momento, o juiz Timóteo Rafael Piangers, da 1ª Vara Federal de Laguna, ainda não emitiu a sentença sobre o caso, e o turismo embarcado continua suspenso em Imbituba, Garopaba e Laguna.

Protocolado às 18h11min do dia 21 deste mês, data final do prazo de resposta disponibilizado pela justiça, o documento de sete páginas trouxe questionamentos em quatro pontos. A ONG quer esclarecimentos sobre informações contraditórias sobre a presença de fiscais nas embarcações, relatando que "se faz imprescindível o esclarecimento pelo réu ICMBio de qual entendimento prevalecerá, se será ou não obrigatória a presença de monitor/fiscal em cada embarcação, diante da diferença que tal situação acarreta para fins de fiscalização da atividade, haja vista que há registro de turistas colocando os pés nas baleias


O deslocamento fortuito dos barcos e velocidade de tráfego também foram questionados. O Sea Sheperd quer saber qual será o plano para evitar a aproximação dos barcos conforme vento e maré, para que sejam cumpridas as regras da Portaria 117/96 do IBAMA (100 metros para motor ligado e 50 m para equipamento desligado).

Por último, a ONG quer saber como será feita a contratação de fiscais para realizar o acompanhamento. Segundo eles, em outras oportunidades o próprio ICMBio relatou falta de recursos para concluir o Plano de Manejo, entre outras iniciativas. Por isso, eles solicitam um plano factível a respeito da contratação de pessoal, visto que o Instituto ¿não tem condições de ampliar seu quadro funcional e nem verbas disponíveis para dar continuidade ao Plano de Manejo conforme cronograma¿.

Impasse começou há quatro anos


2012

No final daquela temporada, o Instituto SeaShepherd protocolou denúncia contra o turismo de observação de baleias. A juíza responsável pelo caso, Daniela Tocchetto Cavalheiro, entendeu que existiam falhas de gestão e proibiu esse tipo de turismo em Garopaba, Imbituba e Laguna.l Para reverter a decisão foi exigido estudo de impacto ambiental. O ICMBio, responsável pela proteção da baleia-franca, declarou que o levantamento levaria pelo menos quatro anos.

2013

A APA tentou reverter a decisão, mas a medida foi analisada duas vezes no Tribunal Regional Federal (TRF) em 2013 e a decisão de suspensão foi mantida.

2014

Em maio, a primeira audiência de conciliação reuniu ICMBio, Marinha do Brasil, Polícia Ambiental, Sea Shepherd e Ministério Público.

2015

Em dezembro, o juiz Rafael Selau Carmona, da 1ª Vara Federal de Laguna, sentenciou que o turismo poderia ser retomado mediante a elaboração e implementação de plano de fiscalização que contemple a inspeção in loco e ostensiva das atividades nas embarcações durante as saídas.

2016

Em maio, o ICMBio concluiu o Plano de Normatização, Fiscalização e Controle da Atividade de Turismo Embarcado de Baleias (Tobe). O material foi analisado pelas operadoras de turismo, prefeituras, órgãos ambientais e demais envolvidos, e protocolado em Porto Alegre no dia 17/5 e em Laguna no dia 24. O Sea Shepherd foi intimado no dia 28 de maio e tinha até o dia 21 de junho para se manifestar sobre o plano.
 
< Anterior   Próximo >

Gostou? Compartilhe em sua rede social.

Escolha o Idioma

Veja também

Nossas Lutas
Aconteceu
Utilidade
Direito Animal
Cyberativismo
Textos
Fatos Reais
Websites e Blogs
Curiosidades
Galeria

Anunciantes

J_Adore_Mes_Amis_Le_Bidou
 
 
Roberto Roperto - Pizzas Vegetarianas
Nova pagina 1

Mantenha-se atualizado

Escolha como deseja se comunicar conosco ou receber as nossas notícias e informações. Estamos no Facebook, pode ser também pelo RSS FEED clicando ao lado direito, pelo TWITTER, no nosso BLOG ou então pelo nosso Grupo no YAHOO. Quer assistir alguns vídeos interessantes, acesse o nosso Canal no YouTube. Não será por falta de opções que você ficará desinformado. Não é mesmo?

Direitos Reservados - Tribuna Animal