A A A
Pet shop que vendeu yorkshire de cliente vai pagar indenização PDF Imprimir E-mail
Noticias - ANIMAIS - BRASIL
25-Mar-2014
 
Auxiliar administrativa alegou sofrimento dos filhos e vai receber indenização de R$ 2 mil, o dobro do valor que pagou pelo animal.

Belo Horizonte - Uma mulher que deixou o seu cão da raça yorkshire no pet shop e depois descobriu que o animal havia sido vendido vai receber indenização por danos materiais e morais de R$ 2 mil, por decisão da Justiça de Minas Gerais.

A auxiliar administrativa F. R. L. adquiriu o animal em abril de 2011 na Shop Dog, por R$ 1 mil, parcelado em seis vezes. Passados três dias, a cadela ficou doente e foi levada de volta ao pet shop, para um tratamento veterinário. No começo de maio o animal voltou a ser internado no Shop Dog até 12 de maio, quando a cliente foi avisada de que deveria buscá-lo.

Como tinha outros compromissos, a mulher só pôde comparecer ao pet shop quatro dias depois, quando foi informada pela atendente de que o cão havia sido vendido a outra pessoa.

A funcionária passou o endereço e o telefone dos novos donos do animal e disse que o estabelecimento não poderia intervir na situação.

A consumidora procurou a justiça e agora a 17ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais acatou recurso e reconheceu os danos morais, além da indenização por danos materiais de R$ 1 mil concedida pela 4ª Vara Cível de Uberaba.

A auxiliar administrativa afirma que o incidente causou sofrimento e angústia aos dois filhos pequenos. Ela afirma que o pet shop descumpriu o contrato e frustrou a expectativa da família de possuir um animal de estimação sadio.

Com esses argumentos, ela reivindicou, em ação judicial proposta em setembro de 2011, o cancelamento da venda do yorkshire, a suspensão das parcelas pendentes e indenização por danos materiais e morais.

O pet shop contestou afirmando que a mulher não comprovou que a situação tivesse causado danos morais. De acordo com o Shop Dog, o abandono do animal por mais de 20 dias e o fato de F. ter comunicado a atendente, por telefone, em 12 de maio de 2011, que não ficaria com a cadela, levaram a empresa a fechar negócio com outro interessado.

O Shop Dog sustentou que poderia ressarcir a antiga dona ou oferecer-lhe outro animal da mesma raça, e alegou que, como a cadela ficou menos de dez dias com a auxiliar e a família, ainda não existia um vínculo afetivo forte entre eles.

Na Primeira Instância, o pedido foi julgado parcialmente procedente em junho de 2013. O pet shop foi condenado a pagar indenização por danos materiais de R$ 1 mil. A cliente, entretanto, recorreu, defendendo que pagou caro pelo animal e que, na condição de consumidora, foi desrespeitada. Ela acrescentou que o estabelecimento era suspeito de submeter os animais a maus-tratos.

O desembargador Luciano Pinto, que analisou o pedido, mostrou-se sensível à argumentação de. F. "Sabe-se que crianças formam poderosas e imediatas ligações afetivas com animais e, desde o primeiro momento, referem-se a eles como membros da família. Explicar a uma criança que o animal, tão sonhado por elas, mal chegou e já está doente, necessitando de tratamento, por si só, já é tarefa árdua a uma mãe; contar que o animal não vai mais voltar, pois foi vendido a outra pessoa, sem seu consentimento, ocasionou à apelante, irrecusavelmente, sofrimento, perturbação e abalo emocional", afirmou.

Considerando, ainda, que o Shop Dog não comprovou que houve autorização, por parte da antiga dona, para a comercialização da cadela, o relator determinou que a empresa pagasse indenização de R$ 2 mil pela "violação do patrimônio psíquico" da apelante e de toda a sua família. Os desembargadores Márcia De Paoli Balbino e Evandro Lopes da Costa Teixeira partilharam do mesmo entendimento.
 
 

 
< Anterior   Próximo >

Gostou? Compartilhe em sua rede social.

Escolha o Idioma

Veja também

Nossas Lutas
Aconteceu
Utilidade
Direito Animal
Cyberativismo
Textos
Fatos Reais
Websites e Blogs
Curiosidades
Galeria

Anunciantes

J_Adore_Mes_Amis_Le_Bidou
 
 
Roberto Roperto - Pizzas Vegetarianas
Nova pagina 1

Mantenha-se atualizado

Escolha como deseja se comunicar conosco ou receber as nossas notícias e informações. Estamos no Facebook, pode ser também pelo RSS FEED clicando ao lado direito, pelo TWITTER, no nosso BLOG ou então pelo nosso Grupo no YAHOO. Quer assistir alguns vídeos interessantes, acesse o nosso Canal no YouTube. Não será por falta de opções que você ficará desinformado. Não é mesmo?

Direitos Reservados - Tribuna Animal