A A A
PREMIER PET ENSINA COMO PREVENIR TÁRTARO EM ANIMAIS PDF Imprimir E-mail
Utilidade - Saude
01-Set-2013
 


Cerca de 80% dos cães e gatos são acometidos pelo cálculo dentário, popularmente conhecido como tártaro, e podem ser afetados de modo mais ou menos grave durante a vida por meio de doenças periodentais. A veterinária da PremieR pet (www.premierpet.com.br ), Keila Regina de Godoy, orienta que atitudes simples, que vão desde a mastigação mais elaborada, escovação correta até a ingestão de alimentos específicos, podem ser determinantes para evitar, inclusive, complicação de doenças.

“Tais consequências são sérias e incluem mau hálito, perdas dentárias, infecções secundárias em importantes órgãos como rins, coração e dor ao se alimentar. A prevenção é o melhor a ser feito”, frisa.

O fornecimento de brinquedos mastigáveis, ossinhos, biscoitos e o uso de um alimento que já previna o problema são alternativas. Entretanto, muitos se perguntam como o alimento pode ajudar. Para entender melhor é preciso saber que a formação do cálculo dental é contínuo. “Nesse contexto, o uso de um alimento que já contenha substâncias especializadas na prevenção do tártaro [estágio inicial] é uma forma eficiente e prática de evitar o problema.”

Segundo a veterinária, o alimento seco industrializado pode auxiliar de duas maneiras: mecânica e química. A mecânica inclui a ação de abrasão promovida pela mastigação de um grão de formato e tamanho apropriados ao porte do animal. Já a química evita o endurecimento da placa bacteriana, não permitindo que ela se transforme no cálculo dental. Isso é obtido pelo uso, já na composição do alimento, de substâncias especializadas que em contato com a saliva, sequestram o cálcio nela presente e impedem que o mesmo se ligue na referida placa.

Embora as ações sejam complementares, a química é muito desejável, pois não depende da mastigação e por isto é mais eficaz, já que cães e gatos não praticam uma mastigação muito elaborada. “Entre as opções destas substâncias especializadas disponíveis no mercado em alimentos comerciais, o hexametafosfato de sódio é considerado altamente eficaz e seguro, prevenindo a formação do tártaro em até 47% e, contribuindo assim, para a saúde bucal e geral do pet”, finaliza.  

Da placa bacteriana ao cálculo dental

Quando o animal se alimenta, restos de comida ficam parados em sua boca e sobre seus dentes. As bactérias que já existem ali se juntam a estes restos de alimento para utilizá-los, formando então a placa bacteriana.

Tal placa é de fácil remoção mecânica, seja através da escovação, ossinhos e brinquedos. No entanto, ocorre que se não for removida, elas sofrem um processo de mineralizaçãoem que o Cálcio contido na saliva se liga a ela, promovendo seu endurecimento. A partir daí já podemos considerar que existe o “cálculo dental”, o qual só pode ser removido por meio do tratamento feito pelo médico veterinário e precedido de anestesia geral.

Siga a PremieR pet:

www.twitter.com/premier_pet

www.facebook.com/premierpet
 
< Anterior   Próximo >

Gostou? Compartilhe em sua rede social.

Escolha o Idioma

Veja também

Nossas Lutas
Aconteceu
Utilidade
Direito Animal
Cyberativismo
Textos
Fatos Reais
Websites e Blogs
Curiosidades
Galeria

Anunciantes

J_Adore_Mes_Amis_Le_Bidou
 
 
Roberto Roperto - Pizzas Vegetarianas
Nova pagina 1

Mantenha-se atualizado

Escolha como deseja se comunicar conosco ou receber as nossas notícias e informações. Estamos no Facebook, pode ser também pelo RSS FEED clicando ao lado direito, pelo TWITTER, no nosso BLOG ou então pelo nosso Grupo no YAHOO. Quer assistir alguns vídeos interessantes, acesse o nosso Canal no YouTube. Não será por falta de opções que você ficará desinformado. Não é mesmo?

Direitos Reservados - Tribuna Animal